Notícias

Imagem

ESPECIAL 28 DE ABRIL: A CADA 3H38MIN, 1 TRABALHADOR MORRE VÍTIMA DE ACIDENTE DE TRABALHO NO BRASIL

Dia 28 de Abril - Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho

Os dados alarmantes divulgados pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, iniciativa da Organização Internacional do Trabalho e Ministério Público do Trabalho, mostram que, a cada 3h38, 1 trabalhador morre vítima de acidente de trabalho no Brasil. 

Isso significa que desde 2012 mais de 15 mil trabalhadores perderam a vida trabalhando. Só no Paraná, mais de 1.300 pessoas também foram vítimas fatais de acidentes neste mesmo período. Ou seja, 1 trabalhador paranaense morreu a cada 1 dia e 16 horas. 

Mais de 4 milhões de acidentes de trabalho em apenas 5 anos

É isso mesmo! Mais de 4 milhões de acidentes de trabalho foram registrados no Brasil só nos últimos 5 anos. Isso significa que entre 2012 e 2017, 1 trabalhador se acidentou no país a cada 48 segundos. 

No Paraná, estima-se que cerca de 320 mil trabalhadores sofreram acidentes no trabalho nestes últimos cinco anos. 

E o que fazer para reduzir estes tristes dados?

De acordo com o médico do trabalho, presidente da Associação Brasileira de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (ABRASTT) e assessor do Sindicato, dr. Zuher Handar, é preciso ampliar o esforço para registrar todos os acidentes e doenças do trabalho que estão ocorrendo dentro das empresas. 

“Esse registro é o primeiro passo. É com ele que identificamos onde, como e porque o acidente ou doença ocorreu, seja ele fatal ou não, leve ou grave, precisamos registrar”, destaca o médico.

Ainda de acordo com Zuher, é a partir destes registros, das CATs, das notificações, das denúncias que as irregularidades e causas de doenças e acidentes são combatidas, evitando que ele torne a acontecer. “É uma ação constante de vigilância”, destaca o médico.

Zuher ainda destacou o fato da maioria destes acidentes e doenças do trabalho estarem acontecendo entre os jovens brasileiros. São pessoas que tem entre 25 e 39 anos que tem sido as maiores vítimas destes graves problemas. Por esse motivo é que o médico ressaltou também a importância de ampliar as ações e cuidados entre a juventude brasileiro.

“É preciso aumentar a intensidade das orientações sobre saúde e segurança do trabalhador entre os jovens. Temos que entrar cada vez mais nas escolas e nas universidades mostrando para estes futuros trabalhadores a importância da prevenção, da segurança do trabalho e da saúde do trabalhador”, detalha Zuher Handar.


Veja o vídeo:

Comente esta notícia