Notícias

Imagem

DIEESE - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E MERCADO DE TRABALHO: AINDA HÁ MUITO A AVANÇAR

Diversos são os fatores –estruturais e conjunturais - que definem a inserção e a trajetória ocupacional dos trabalhadores, destacando-se como o mais relevante a configuração do mercado de trabalho e sua capacidade de absorção da mão de obra. Também as características socioeconômicas dos que pretendem incorporar-se ao mercado de trabalho –como renda familiar e grau de instrução, entre outras –são decisivas para determinar as condições de ingresso e de permanência na vida laboral.

A situação particular de emprego de cada trabalhador, portanto, não depende exclusivamente de suas ações e de seu percurso individual, mas das circunstâncias e das oportunidades que lhe são proporcionadas pela sociedade em que vive e que decorrem, evidentemente, das diretrizes político econômicas adotadas ao longo da história.

É consenso, no entanto, que a educação é importante para que os indivíduos alcancem uma boa colocação no mercado de trabalho e, independentemente do contexto econômico que os cercam, contribui positivamente para sua inserção. No Brasil, onde são expressivas as disparidades sociais, econômicas e regionais, a formação profissionalizante pode ser um instrumento fundamental para a inclusão social e a redução das desigualdades.

Confira abaixo a nota técnica completa publicada pelo DIEESE:

Fonte: DIEESE

Comente esta notícia